Pular para o conteúdo principal

Outernet: o projeto que pretende levar internet grátis para o mundo todo

Outernet+you+probably+never+heard+of+it.+World+Wide+WiFI_ec3cfa_5023620
Uma organização sem fins lucrativos sediada em Nova Iorque, nos EUA, chamada Media Development Investment Fund (MDIF, em tradução livre “Fundo de Investimento do Desenvolvimento da Mídia) anunciou sua intenção de construir uma “Outernet” – uma rede global de satélites para transmissão de dados da internet a praticamente qualquer pessoa no planeta, gratuitamente.
A ideia é oferecer acesso gratuito à internet para todas as pessoas, independentemente da sua localização, e ignorando qualquer censura.
Com o crescimento da internet, organizações de direitos humanos ou de promoção da liberdade de expressão como a MDIF começaram a propor que o acesso à informação que ela pode oferecer é um direito humano básico.
Sendo assim, a restrição do acesso à internet é uma violação desse direito que a MDIF quer contornar, propondo que centenas de satélites sejam construídos e lançados por todo o céu, permitindo que qualquer pessoa com um telefone ou computador veja esses dados de várias centenas de estações terrestres.
A MDIF afirma que, hoje, 40% das pessoas no mundo ainda não são capazes de se conectar à internet, não só por causa de governos restritivos como o da Coreia do Norte, mas também devido ao alto custo de trazer o serviço para áreas remotas, como Sibéria, algumas partes do oeste dos Estados Unidos e ilhas remotas ou aldeias na África.
A Outernet, dizem, garantiria a todas as pessoas os mesmos direitos à informação.
Se o projeto sair como previsto, dados unidirecionais fluirão de alimentadores para satélites que transmitirão a todos abaixo. Um benefício adicional dessa rede de informação unidirecional, segundo a MDIF, seria a criação de um sistema de notificação global durante emergências e desastres naturais.
Tudo isso só vai acontecer, no entanto, quando a MDIF tiver os fundos necessários para bancar a empreitada.
Neste momento, não está claro quanto dinheiro eles já têm, mas a construção de uma rede desse tipo não sairia barato – tais satélites custam tipicamente US$ 100.000 a US$ 300.000 (R$ 230 a 700 mil) para construir e lançar. Apesar disso, o cronograma para o projeto prevê a implantação dos primeiros satélites já no próximo verão do hemisfério norte (que começa no fim de junho). [Phys]

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dica de configuração do CURA usando PLA

Essas são as configurações que eu fiz em minha impressora ANET A8 para imprimir no PLA.

Criei 2 perfis, um com média qualidade (0,2mm) e outro com alta qualidade (0,1mm).

Média Qualidade



 Alta Qualidade

No filme o Livro de Eli, o personagem principal é cego?

Acho que o filme vale a pena, não só pela excelente fotografia, mas por alguns outros pontos. Eli pode ser cego sim. Ainda vou assistir mais uma vez o filme para confirmar, mas alguns detalhes são importantes para serem notados:
1) Cegos geralmente usam óculos de sol, portanto o fato de todo mundo usar, esconde um pouco o fato de ele usar.
2) Nem todos os cegos tem olhos do mesmo jeito. Se ele não for completamente cego, ele é o suficiente para ter que aprender Braile
3) Ele não olha para o sol e sim o sente em sua face.
4) Ele não encherga que a bateria de seu iPod está acabando? pq fica batendo nele?
5) Vai para o escuro lutar com os primeiros bandidos. Uma tremenda vantagem para quem é cego. Técnica muito usada pelo super-herói Demolidor.
6) Só atira qdo ouve de onde vem o tiro. Se ninguém atirar ele não revida.
7) Ele mata um passaro pelo som. É forçado ele acertar tudo, mas isso é para deixar a gente confuso.
Pois bem, só assisti uma vez, mas vou confirmar isso tudo na segunda. Acho qu…

Suporte para Notebook com tubos de PVC

Fonte: http://tecnicolinux.blogspot.com.br